COMO VALORIZAR OS ACTIVOS DOS CLUBES

24 de fevereiro de 2015 - 11:49

n

Artigo de opinião

Envolvendo negociação de compra e venda de jogadores de futebol, as altas cifras são sempre noticiadas na imprensa. As habilidades técnicas e o uso comercial da imagem dos jogadores representam um importante activo para os clubes, pois proporcionam receitas extraordinárias. E no basquetebol nacional, isto também funciona assim?
O futebol deixou de ser uma actividade de mero entretenimento para passar a ser uma actividade com finalidades económicas, exigindo organização, suporte jurídico e contabilidade organizada, principalmente, uma gestão altamente profissional. E no basquetebol, isto funciona assim?
No futebol, os jovens começam a competir, de forma organizada, logo bem cedo. E no basquetebol?
Em Portugal, o basquetebol já foi modalidade de referência. E que dizer, então, no nosso clube?
Que estamos a fazer para que o basquetebol regresse ao lugar que merece?
Na vida, é sempre possível encontrar 2 atitudes ou posturas:-desculpas ou-resultados.
Vamos procurar encontrar resultados. Vamos provocar alterações regulamentares que permitam que mais clubes possam trabalhar em EQUIPA, alargando o número de clubes satélites e, de tal forma, estender a oportunidade aos escalões de formação.
Se não existem competições em torneios para os 'minis', vamos NÓS encontrar a resposta.
Vamos sugerir alterações aos regulamentos, alterações que possibilitem mais períodos de jogo, reduzindo nos intervalos, nos descontos de tempo, dilatando, assim, a possibilidade de mais se jogar numa só deslocação.
Vamos questionar as coisas com o objectivo de se encontrar a melhor solução.
Adaptando para o basquetebol uma frase de JFK, talvez encontremos resposta para as mais prementes questões que, diariamente, nos desafiam e nos forçam a acreditar num amanhã melhor:
''Não perguntes o que o basquetebol pode fazer por ti, mas antes o que podes fazer pelo BASQUETEBOL''

Rui Diniz

Comentários